05 agosto 2018

URUGUAI: Observação de Baleias, Gastronomia, Vinho, Vinícolas e Muito Mais!

URUGUAI: Observação de Baleias, Gastronomia, Vinho, Vinícolas e Muito Mais!

A temporada para avistar baleias em diversos lugares ao longo do litoral brasileiro já está bombando, como em Arraial do Cabo (embora eu nunca tenha dado sorte de ver rsrs... ) e, curiosamente, também no Uruguai o turismo de observação atrai milhares de curiosos e movimenta ainda mais o país nesta época do ano. 

Nas costas de Rocha e Maldonado, no Uruguai, entre os meses de julho e outubro de cada ano, pode-se avistar a chegada das baleias francas, os maiores mamíferos do mundo que chegam em busca de águas calmas e temperadas para reproduzir, alimentar e cuidar de seus filhotes. 

O show das baleias Franca Austral começa na Antártida, passa por Porto Madryn, na Argentina, e logo sobem as costas uruguaias, terminando seu balé em Florianópolis, onde permanecem até novembro, quando encerram o período de reprodução.



A chegada dos cetáceos cativa os turistas e moradores locais, centenas de espectadores que se aproximam diariamente das praias uruguaias para acompanar os saltos, nadadeiras, mares e golpes em forma de "V", característica da baleia Franca Austral, muitas vezes tão perto, a poucos metros da costa e sob uma paisagem incomparável, que não precisa de muito esforço para avistá-las.
A observação das baleias como atividade comercial teve início em 1955 na América do Norte, ao longo da costa sul da Califórnia. Hoje, este turismo é realizado em mais de 100 países, principalmente na Antártida, onde os passeios partem em busca da grande baleia azul.

Esse tipo de turismo no Uruguai pode ser feito desde terra firme ou em embarcações de empresas especializadas no setor, sempre dentro das regras internacionais para esse tipo de atividade, que movimenta a economia uruguaia, principalmente nas regiões de Rocha, Punta del Este e Piriápolis.



No decreto 261/02, está regulamentada a observação de cetáceos no país e estabelece que estão proibidas as atividades que perturbem esses animais como, por exemplo, não é possível chegar a menos de 300 metros deles, salvo em casos expressamente autorizados.  Foi promulgada a lei nº 19.128, em 2013, que declara que o Uruguai é um santuário de baleias e golfinhos. Estas normativas garantem benefícios aos animais e também ao turismo ecológico no país com o objetivo principal de cuidar do recurso, salvaguardando a segurança dos passageiros e a qualidade dos serviços oferecidos. 

Além disso, o país, é membro da Comissão Baleeira Internacional (CBI), vem sempre agindo em favor da conservação das baleias e golfinhos, com amparo na Lei de Proteção Ao Ambiente (Lei 17.283), posicionando-se contra a caça.

GUIA DO URUGUAI: clique e confira nossas dicas por lá


Algumas Curiosidades sobre as baleias: 

- Você sabia que um filhote cresce aproximadamente três centímetros em 36 horas, chegando a medir na fase adulta entre 16 e 17 metros de comprimento, o equivalente a um ônibus e meio, pesando de 50 toneladas ou 10 elefantes?

- Um filhote ingere 380 litros de leite por dia, sendo o único alimento que terá durante seu primeiro ano de vida, quase 140 mil litros ao ano;

- Esse cetáceo vive 60 anos, nada a 30 Km / h e pode chegar à profundidade de 300 m.

- Eles são capazes de ingerir 300 kg de Krill e Copépode em uma hora. Possuem barbas dentro de sua boca, que medem até 2,5m, e funcionam como um filtro dos alimentos ingeridos.

- A cabeça ocupa ⅓ do seu corpo e é cercada por calosidades, com tamanho e forma que variam de uma baleia para o outra e não estão sujeitos a mudanças ao longo do tempo, são como as impressões digitais dos seres humanos para eles.

As baleias e os golfinhos têm a capacidade de emitir uma ampla gama de sons e movimentos que desempenham um papel-chave durante o seu ciclo de vida, servindo para a comunicação, navegação ou detecção de alimentos, predadores ou até mesmo para atrair seu parceiro.

Ficou com vontade de assistir às baleiras? Então vejam aqui algumas dicas para ter sucesso na sua avistagem:

• a técnica de "varredura" com binóculos consiste em fixar dois pontos no horizonte e começar a abaixar o olhar de um ponto a outro até chegar à costa;

• preste muita atenção ao mar, especialmente se constatar o seguinte:

1. gaivotas flutuando em uma área (eles podem estar se alimentando dos "piolhos do mar" que eles têm nos calos ou bicando na parte de trás da baleia)

2. observe se os redemoinhos se formam no mar, pois pode haver uma baleia submersa.

3. o golpe "V" é outra característica para distingui-los.

Agora, uma vez estando no Uruguai, se tem uma coisa clássica, sagrada e imperdível que você deve fazer, é experimentar o Chivito!!

Você sabe o que é? Já ouviu falar? Eu, que já fui 2 vezes ao país, sempre como! Mas confesso que preciso de ajuda rsrsrs...

Muito tradicional no país há mais de 60 anos, o lanche mais famoso foi criado por Antonio Carbonaro, proprietário do restaurante "El Mejillón", que não existe mais, mas ficava localizado em Punta del Este.

A invenção do típico prato ocorreu "por acaso", em uma noite de apagão, queando uma cliente chegou no restaurante e queria comer a carne de "Chivito" que havia experimentado antes em Córdoba, na Argentina. Como Don Carbonaro não possuía a iguaria em seu restaurante, criou um sanduíche de pão tostado com manteiga, uma fatia de presunto e um churrasquinho bem suculento e serviu à freguesa, que ficou encantada com a invenção e assim nasceu este clássico uruguaio!



O Chivito, que costuma ser servido de forma farta, tem que entrar na sua listinha de coisas a fazer no Uruguai! Na última vez que fui, em 2017, comi algumas versões dele "aberto", sem o pão. Ficou menos pesado, mas, ainda assim, era impossível comer sozinha rsrs...



E já que estamos falando de gastronomia, entre Chivitos, suculentos churrascos e vinhos, você deve deixar um espacinho na barriga para experimentar também as melhores sobremesas e doces típicos do Uruguai!

Eu sou muito muito - mas muito mesmo!!! - fã do Doce de Leite uruguaio e argentino, aquele maltado, mais cremoso, que eu amo de paixão! Portanto, é óbvio que, uma vez no Uruguai, eu reservo algumas calorias para gastar em degustações de doces e também compro alguns para trazer para casa.

Vamos combinar que, no inverno, com temperaturas mais baixas, a vontade de comer doces é ainda maior!! Irresistível comer uma sobremesa com um vinho ou um bom chá, não acham? Então, anotem aí algumas das guloseimas mais deliciosas que você encontrará no Uruguai, seja em Montevideo, em Punta del Este, em Colonia de Sacramento, em Carmelo... você precisa degustar alguns - ou todos! - desses doces:

- Doce de leite: eu sempre compro vários potes e trago comigo (já trouxe na bagagem de mão, sem despachar, pelo medo de quebrar, e deu tudo certo, não tive problemas no aeroporto!). Seguem algumas marcas para vocês que eu já experimentei e amo, em ordem de amor:

. doce de leite Lapataia
. doce de leite Narbona
. doce de leite Conaprole
. doce de leite Los Nietitos
. doce de leite Príncipe Humberto

A vinícola e laticínios Narbona fica em Carmelo, que nós visitamos ano passado, onde você poderá fazer o tour de degustação de vinhos, como também degustar e comprar alguns de seus laticínios, como o seu maravilhoso Doce de Leite.

Mas se não quiser ir a Carmelo só para isso, não precisa, viu? Pois eu vi o doce de leite Narbona sendo vendido até com preço pouco mais em conta no Mercado Agrícola de Montevideo (José L. Terra 2220).


  

Já o La Pataia, provavelmente o mais conhecido dentre os turistas, oferece uma visita numa fazenda em Punta del Este, com café para um lanche (http://lapataiapuntadeleste.com/). O La Pataia é encontrado em todos os lugares... talvez o mais facilmente encontrado para comprar. Eu prefiro o de cor mais escura, mais cremoso e com sabor mais marcante.

Outra marca, beeeem menos conhecida (ao menos para mim) que adorei experimentar foi o Dulce de Leche do Almacén La Capilla, que também fica em Carmelo. Esse aí, infelizmente, eu só vi vendendo por lá mesmo. Então, caso seu roteiro uruguaio inclua uma visita a Carmelo, inclua uma visita a esta bodega super simpática, familiar, pequena e bastante acolhedora, para fazer uma degustação de vinhos, para provar o doce de leite ou para fazer um lanche mesmo, pois eles servem pequenas refeições.




Agora vamos sair um pouco do mais conhecido e mostrar para vocês que nem só de doce de leite se sobrevive no Uruguai rsrs... vocês já ouviram falar do Chaja? Pronuncia-se “charrá” e talvez seja o mais típico dos doces uruguaios! A tentação é feita com merengue, base de pão de ló, chantilly, pêssego e morango. Na primeira mordida, os ingredientes fundem-se causando êxtase quando se derretem na boca. No mais que gourmet Supermercado Tienda Inglesa, na parte de “doces”e “gelados”, encontra-se um generoso sortimento de chajas, com diferentes recheios. O mais delicioso é a versão tradicional.


É claro que não poderiam faltar aqui na lista os Alfajores, que são tão famosos no Uruguai quanto para os hermanos Argentinos. Os incríveis alfajores de Las Sierras de Minas, que vem embrulhados em papel manteiga, com recheio de baunilha e de chocolate podem ser mais facilmente comprados em Punta del Este.



Um primo do Alfajor é o Ricardito, que se parece a nossa Nhá Benta da Kopenhagen, e é muito fácil de encontrar, seja em cafeterias, padarias e confeitarias. Em toda a Calle Gorlero, um dos mais conhecidos endereços do Balneário de Punta del Este, há diversas lojas de souvenires com artigos típicos, onde se encontram profusões de Ricarditos e de Alfajores.

Agora, para quem gosta de se aventurar um pouco mais na cozinha, que tal tentar reproduzir em casa duas receitas que trazem o doce de leite como protagonista na hora da sobremesa:

Vulcão de doce de leite

Ingredientes para a massa:

- 600g de doce de leite uruguaio
- 4 ovos inteiros
- 3 gemas
- 3 colheres de farinha de trigo
- uma pitada de sal

Ingredientes recheio:

500g de doce de leite uruguaio
250g de creme
250g de leite

Crédito: Mauro Holanda

Crédito: Mauro Holanda

Modo de preparo recheio:
Misture todos os ingredientes e coloque em recipientes pequenos, do tamanho de pastilhas, e leve ao congelador por 6 horas.

Modo de preparo massa: Misture todos os ingredientes em uma tigela até formar uma massa uniforme e homogênea. Pegue pequenas formas de cupcake, devidamente untadas com manteiga e farinha, e coloque a massa até a metade. Pegue uma pastilha de recheio congelada e coloque no meio e complete com mais massa. Repita a operação nas demais formas e leve para assar com forno em temperatura de 180º por 12 minutos, desenformando e servindo ainda quente.

Mousse de doce de leite

Ingredientes:

- 700g de doce de leite uruguaio
- 600g de creme de leite
- 200g de clara de ovo
- 8 folhas de gelatina sem Sabor
- uma pitada de sal

Crédito: Mauro Holanda


Modo de preparo:

Bata o creme de leite gelado em velocidade média por 5 minutos e reserve.  Em outro recipiente, bata o doce de leite juntamente com as gelatinas já dissolvidas em água morna por 3 minutos em velocidade média e reserve.  Pegue um terceiro recipiente e bata as claras até atingir o ponto de neve, em velocidade alta, e adicione delicadamente o doce de leite batido, mexendo com uma colher até incorporar bem. Por último adicione o creme de leite. Após esse processo, basta colocar o mousse em tigelas individuais e levar a geladeira por três horas antes de servir.

E, obviamente, não poderíamos fazer um post sobre o Uruguai sem falar dos seus Vinhos!

Mais ao Norte do Uruguai, existem uvas de excelentes qualidades, notadamente no departamento de Rivera. A região abriga uma das maiores e mais importantes vinícolas do vizinho, a Cerro Chapéu, projeto Binacional com Brasil.

Produtora de um dos melhores vinhos Tannat, o solo dessa parte do país é muito arenoso e com excelente drenagem nas partes mais montanhosas. A localidade da vinícola Cerro Chapéu é de temperaturas elevadas o que possibilita a produção de outras cepas como: Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Uniblanc, Trebbiano e Muscat.



Essa bodega familiar está localizada a 12 km ao leste da principal cidade de mesmo nome, Rivera – considerada uma das capitais de compras do país, e que está sobre a Colina de Santana.

Inovadora, moderna, inaugurada em 1997, recebeu diversos prêmios e excelentes classificações de seus vinhos pincipalmente os Tannat. Possui uma grande capacidade para receber turistas e vale muito a pena a visita devido às formas de produção adotados pelos fundadores da Cerro Chapéu.



O projeto arquitetônico é pioneiro e funciona por gravidade. Seu terroir único, proporcionou ao estabelecimento com estilo fazenda um Tannat muito reconhecido em todo o mundo. www.cerrochapeu.com

E se for para programar uma visita com cunho mais enoturístico ao país, saibam que os dois momentos mais importante são a vindima e a poda, sendo esta considerada um dos processos e eventos mais importantes do setor vitivinicultor.

Trata-se de um momento bastante crucial para a vinha, pois define verdadeiramente o destino de cada parcela. O Festival de Poda começou em 2009 e depois foi transformado em Poda e Cozinha Criolla. Julho é o mês dele e das férias de inverno, junção esta que torna ainda mais interessante o compartilhar de tesouras para podar as vinhas com a família.

A associação Uruguay WineTours, por meio do selo “Los Caminos del Vino”, apresenta diversos estabelecimentos das regiões de Canelones, Maldonado e Montevidéu, onde os turistas poderão participar do momento da poda, passear entre os vinhedos e harmonizar os vinhos produzidos por cada uma das bodegas com os pratos servidos nos restaurantes da casa.

No site da associação Los Caminos Del Vino (www.loscaminosdelvino.com.uy) está toda programação das vinícolas que as compõem.

Sobre Los Caminos Del Vino: Criada em 2005, “Los Caminos del Vino” surgiu para unificar e consolidar o mercado de turismo de vinho no Uruguai. Fortalecer o setor vinícola e posicionar seus produtos de alta qualidade, tanto no mercado interno quanto no internacional, criando uma imagem de país produtor e exportador de vinhos finos.

Atualmente, aproximadamente 20% dos turistas brasileiros realizam visitas às vinícolas localizadas em Rivera, Canelones, Maldonado e Montevidéu. Desde o surgimento da associação e oficialização da atividade no país, o aumento das visitas às vinícolas se mantem em crescimento e muito desse resultado aconteceu devido ao apoio da associação, que impulsionou junto a órgãos públicos o Enoturismo.

Para o turista, a criação de uma associação é importante para que todas as informações estejam centralizadas em um só site, www.loscaminosdelvino.com.uy. A futuro querem integrar à organização novos associados, e criar novas alianças com outros atores da atividade turística.

Um pouco sobre as vinícolas

Alto de la Ballena: muito próximo das praias de Punta del Este, pode-se admirar a charmosa paisagem que tem um lago nas proximidades, onde as serras terminam no mar. A linda vinícola, estabelecida desde 2001, produz edições limitadas de vinhos exclusivos de Merlot, Cabernet Franc, Viognier e Syrah, e a original mistura de Tannat-Viognier. www.altodelaballena.com

Alto de La Ballena. crédito: Daniel Neto
Bodega Artesana: desde 2007, escolheram o lugar em Las Brujas, Canelones. Aqui o segredo está na produção em baixa escala com vinhos de alta qualidade, sendo uns dos únicos a produzir a Zinfandel, além das tradicionais uvas Tannat, Merlot Cabernet Franc. www.artesanawinery.com

Plantação de Tannat na Bodega Artesana
Bodega Bouza: desde 2003 no mercado, é umas das mais conhecidas entre os brasileiros. O trabalho em pequena escala cuida de todos os detalhes, desde a vinha até o engarrafamento, o que tornou possível posicionar os vinhos a nível internacional. www.bodegabouza.com

bodega Bouza
Bodega De Lucca: há mais de 70 anos em operação, a vinícola produz em 50 hectares seu próprio vinho. Tem forte tradição vitivinícola italiana passada de geração em geração. http://www.deluccawines.com/

Bodega de Lucca
Bodega Marichal: desde 1938 nas mãos da mesma família, já há quatro gerações, são produzidas em 50 hectares uvas como Tannat, Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay e Sauvignon Blanc. O espaço rústico faz o tempo parar. www.marichalwines.com

Créditos: Marichal - Daniel Nieto
Bodega Moizo: a somente 30 minutos de Montevidéu, localizada em Juanicó, a Bodega boutique tem tradição Piemontesa desde 1954. O estabelecimento produz vinhos em pequena escala por seus próprios enólogos. Dentre os produtos, estão os vinhos finos, Licor de Tannat e a deliciosa comida caseira, localizada entre jardins e prados. www.bodegamoizo.com

Bodega Moizo

Vinicola Moizo
Bodega Spinoglio: sob o comando da quarta geração da família Spinoglio, Luigi Spinoglio, trouxe o ofício de vitivinicultor da Itália em 1898. Atualmente, possuidora de um estilo luxuoso e rústico, cultiva Tannat, Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay y Sauvignon Blanc. www.bodegaspinoglio.com

Bodega Spinoglio
Bodegas Carrau: são 266 anos de tradição vitivinícola familiar da Catalunha (Espanha) ao Uruguai. Localizada em Montevidéu, a tão somente 17 km do centro da cidade, num entorno muito belo, com um típico casarão colonial rodeado de área verde e vinhedo. Está entre os estabelecimentos mais premiados do Uruguai com seus vinhos de alta qualidade. www.bodegascarrau.com

Bodega Carrau
Bodega Cerro Chapeu: é uma vinícola com um projeto arquitetônico pioneiro que funciona por gravidade, com um processo extremamente inovador, que vale a pena conhecer. Está mais ao norte do Uruguai, na fronteira com o Brasil. Seu terroir único proporcionou ao estabelecimento com estilo fazenda um Tannat muito reconhecido em todo o mundo. www.cerrochapeu.com

Cerro Chapeu
Viñedo de los Vientos: fundada em 1998 por Pablo Fallabrino, amante do vinho e do surf. Ele usa técnicas de vinificação que não seguem um padrão mais comum. Muitas vezes desenvolvendo sua própria técnica, que marca um estilo de vinho muito original. Além de Tannat, produz outras linhagens italianas, como Nebbiolo, Barbera e Arneis. www.vinedodelosvientos.com

Viñedo de los Vientos
Estabelecimento Juanicó: maior vinícola do Uruguai, com a maior posição no mercado de vinhos finos interna, é produtora do vinho mais vendido no Uruguai: Don Pascual. Além de seus vinhos, produz azeite. www.juanico.com

Juanicó
Pizzorno Family Estates: fundada em 1910 por Don Próspero José Pizzorno, a tradicional e secular vinícola está a 20 km de Montevidéu. A qualidade dos vinhos dá às safras características complexas e elegantes. Reconhecida por seu “Tannat Maceración Carbónica”. www.pizzornowines.com

Bodega Pizzorno Manejo
Viña Varela Zarranz: inaugurada há mais de 130 anos, produz Tannat, Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Marselan, Petit Grain Muscat, Chardonnay, Sauvignon Blanc, dentre outras. É uma das vinícolas com maior trajetória e história no Uruguai. www.varelazarranz.com

Varela Zarranz 

Varela Zarranz
Mais informações pelos sites:

Sobre o país: www.uruguaynatural.com

Sobre vinhos: http://www.uruguaywinetours.com/language/pt/

Sobre onde ir: http://www.pasaporteuruguay.com/guia.php


Postar um comentário

Botão do Whatsapp só funciona no celular

Digite o que procura e tecle "enter" para buscar