terça-feira, 11 de julho de 2017

Onde comer no Rio de Janeiro: conheça o Terraço 222

Por Julio Paulin

Novo cardápio do restaurante Terraço 222, do Royal Tulip Rio São Conrado

Ser o restaurante de um hotel 5 estrelas é com certeza um grande desafio que requer maestria em todos os aspectos para atender as expectativas dos hóspedes e daqueles que buscam um lugar diferente para conhecer na cidade. 



Foi-se o tempo em que as pessoas ficavam desconfortáveis em buscar restaurantes de hotéis para fazer suas refeições, para realizar suas comemorações e, no Rio de Janeiro, vivenciamos um movimento claro de mudança de hábitos em que cariocas, que antes não tinham esse hábito, estão cada vez mais familiarizados a escolher restaurantes de hotéis para um café da manhã diferente com vista espetacular para a praia, para um almoço mais reservado ou para um jantar romântico, por exemplo. 

A bem da verdade, um restaurante estrategicamente localizado dentro de hotel pode oferecer desde um momento de muito conforto, passando pela tranquilidade de estar em um lugar seguro e, na grande maioria das vezes, bastante reservado e exclusivo.

Assim, estive no coquetel de lançamento do novo menu do Restaurante Terraço 222, que se encontra na praia de São Conrado, no andar térreo do hotel do Royal Tulip, no dia 22 de junho, ocasião em que nos foram apresentadas, em um jantar muito bem harmonizado, as razões de ser este uma grande aposta para o cenário gastronômico carioca.


Com visual moderno e cozinha à mostra de todos, através do vidro, o chef Rubens Gonçalo, do estado do Maranhão, prepara sua alquimia da culinária brasileira contemporânea, usando e abusando dos ingredientes nacionais e seus sabores exóticos.

O ambiente passou por recente revitalização e nos brinda com uma decoração assinada pelo arquiteto Oscar Niemeyer com cozinha integrada ao salão do restaurante, totalmente à vista através do vidro, mostrando a real dinâmica, organização e limpeza do ambiente, com total transparência com seus clientes, o que muito me agrada. 

Inicialmente, fomos recebidos com espumante Zuim Brut, da Serra Gaúcha, 70% Chardonnay e 30% Pinot Noir, fermentado pelo método tradicional (champenoise).


O jantar, que foi servido em formato de menu degustação, teve como couvert e  entrée uma cesta de pães de fabricação própria com textura e crocância na medida, acompanhado por um azeite perfumado e manteigas aromáticas. Em outra tábua, uma (excelente) seleção de queijos especiais das serras brasileiras, principalmente de Teresópolis, complementados com geleia de figo e licor de jenipapo, shot de licor da casa. 


Na sequência, experimentamos o palmito pupunha assado na manteiga de garrafa com picles de maxixe, aiòli e suave wasabi com gengibre.

Em seguida, harmonizando com vinho branco Barista Chardonnay 2014, da África do Sul, experimentamos duas surpresinhas do chef: um ceviche de cherne com ostra e vieira com maionese de wasabi e vinagrete de capim santo (também conhecido como capim limão).


Na sequência, como representante do Mar nesta degustação, foi servido o cherne grelhado com arroz negro (al dente), espiral de legumes, banana confeitada e farofa de castanha do Pará.

Para finalizar os pratos principais, representando a Terra, fomos apresentados ao carré de cordeiro grelhado com crosta de alfavaca, arroz com suave aroma de pequi e aspargos na manteiga, harmonizado com o vinho tinto D.V. Catena Malbec, Safra 2012, da vinícola Catena Zapata, nossa velha conhecida. 


Adoro carré de cordeiro e confesso que gostei do toque de pequi, deixando a assinatura especial brasileira no prato e conferindo aquele leve adocicado que lembrou dos pratos que experimentei na Chapada dos Veadeiros, já que a fruta é realmente muito usada na gastronomia do Centro-Oeste e sertaneja.

Para finalizar a noite, veio à mesa um tiramisù com toque de cupuaçu, mais uma vez inovando nas criações o chef Rubens Gonçalo, unindo uma sobremesa clássica italiana com a marca brasileira dae uma das frutas mais representativas da Região Norte do país, o cupuaçu, mostrando toda a sua sofisticação em valorizar os ingredientes nacionais na elaboração do cardápio.


Eu, que não sou um grande fã de sobremesas, realmente fiquei com saudades só de lembrar aqui para escrever o post.

Assim, posso afirmar que a promessa da casa em apresentar aos seus convidados pratos que trouxessem uma seleção de sabores ousados, diferentes e muito interessantes, uma cozinha de mercado inspirada em sabores do Brasil, aliada a técnicas modernas de confecção e apresentação impecável dos pratos, primando ingredientes sempre frescos, produtos locais e regionais, respeitando a sazonalidade de cada um... tudo isso foi atendido com louvor.


Muitos dos pratos servidos foram reduzidos de tamanho para se adequarem ao formato de degustação. O preços regulares de um prato principal variam de R$50 a R$70, ou seja, considerando os valores de restaurantes mais clássicos no Rio de Janeiro, podemos dizer que os preços estão muito bons e acessíveis, especialmente se considerar que o restaurante encontra-se dentro de um Hotel 5 estrelas, um dos mais tradicionais do Rio de Janeiro.

Ficha técnica:

Terraço 222 – Royal Tulip Rio São Conrado

- Especialidade: Comida Contemporânea-Brasileira
- Endereço: Av. Aquarela do Brasil, 75 – São Conrado, Rio de Janeiro
- Horário de Funcionamento: de terça a domingo
. Almoço das 12h às 16h
. Jantar das 18h30 às 23h30
. Brunch excepcionalmente aos domingos das 12h às 16h
- Reservas: (21) 3323-2200



Um comentário: