quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Peru: Lima, Cusco e Huaraz, por Jessica Kethryne

É com grande alegria que compartilho com vocês o relato de viagem de uma seguidora e leitora bem especial, a Jessica, que entrou em contato comigo há alguns meses, bem no início do ano, para contar um pouco da sua vida, de seus desafios, principalmente sobre a sua saúde e pedindo dicas sobre viagens que pudesse fazer com o orçamento mais limitado.

O Pacífico
Lagunas Llanganuco
Superando vários obstáculos, seja em relação à saúde, seja em relação ao financeiro, a Jessica, meses depois, realizou um sonho, inspirado em um dos roteiros de viagens mais mágicos que eu e Julio já fizemos. Ela foi ao Peru! E esse país, tão incrível e surpreendente, conquistou o coração dela e de seu namorado de tal forma que ela voltou muito encantada e motivada a contar para todos nós como foi a sua viagem e provar que não devemos desistir dos nossos sonhos e buscar sempre forças para realizá-los, sejam eles quais forem.

Fiquei muito feliz por ela ter feito essa viagem e mais feliz ainda por ela trazer suas dicas para a gente! Portanto, sem mais delongas, deixo com vocês o relato da Jessica!!

Viagem pela Transoceânica – Brasil ao Peru pelo Acre
Olá, me chamo Jéssica e provavelmente você não me conhece, mas quer saber o que temos em comum? Somos Apaixonados por Viagens. A Lily (minha grande inspiração) conhece um pouco da minha história e gentilmente me convidou para relatar aqui a viagem que fiz ao Peru em Julho de 2016. Eu quero dizer que estou simplesmente emocionada!

A história é mais ou menos assim... Eu e o Walter iríamos ao Peru em 2015 mas a trip foi adiada para conhecermos São Paulo. Na volta pra casa, estávamos decididos a fazer mais uma viagem antes de começarmos a planejar nosso futuro, pois já namoramos há 8 anos. Porém, após a chegada no nosso Estado, que para a “falência” dos viajantes é o Acre, veio o meu diagnóstico de Endometriose, seguido de inúmeras consultas, exames e gastos com tratamentos que acabaram nos fazendo desistir de viajar. O último ano se arrastou, foi doloroso em todos os aspectos até que na tarde de 22 de Julho, no início das férias, eu soltei o grito de Preciso Viajar!



Sendo assim, esta viagem foi fruto da necessidade de trocar meses de dor por intensos dias de felicidade e descoberta que só um novo destino pode proporcionar. Quer saber como o planejamento de uma semana antes dessa trip incrível acontecer e que deu certo? Acompanhe aqui!

*Dia 1: 29/07- Rio Branco a Porto Maldonado: 

O grande dia começou bem cedo, pois nosso primeiro ônibus desta saga estava com horário de saída marcado para às 06:00 da manhã. A passagem de Rio Branco a Assis Brasil custou R$54,00 por pessoa + R$2,50 pela taxa de embarque. O trajeto teria duração de 06 horas (em estrada ruim), mas acabou tendo 08h e chegamos a Assis às 14:00 da tarde. Há duas paradas para banheiro e comida e nós gastamos R$19,00 com lanches. 

Uma dica para você economizar os primeiros R$15,00 da viagem é pedir para o motorista parar na alfândega, onde é preciso dar a saída do Brasil, pois a rodoviária de Assis fica bem mais à frente, obrigando a tomar um táxi. 

Obs: A empresa “Ormenõ” opera no Acre, com saída todos os sábados direto para Lima às 06:00 da manhã - R$ 332,00 - mas não conseguimos passagens.

Após dar a saída do Brasil, pegamos um táxi até Iñapari que custou R$20,00 por pessoa e o motorista nos deixou no ponto das vans para Porto Maldonado. É importante você pedir ao motorista que pare na imigração peruana para dar a entrada no país. Às 15:15, após os trâmites, saímos de Iñapari numa Van desconfortável que custou 30 soles por pessoa. Pontualmente, em 3 horas de trajeto, chegamos em Porto Maldonado às 18:15 da noite. As Vans param no centro, mas por 2,50 soles por pessoa o motorista nos deixou na rodoviária que eles chamam de terminal terrestre ou terrapuerto. 

De Porto Maldonado a Cusco são 10 horas de viagem e nós optamos pela empresa rodoviária Cruz del Sur - 85 soles - por pessoa pelo assento cama, de couro reclinável 160º, serviço de bordo, tablet para cada passageiro com músicas, jogos e filmes, wi-fi (que neste trajeto não funcionou), coberta, travesseiro e uma refeição (jantar). Nosso ônibus saiu às 21:30 com destino a Cusco.

A subida/Soroche: Prepare-se para uma subida lenta com muuuitas curvas, mas o motorista foi muito cauteloso. Apesar do trecho em zigue-zague alcançar 4.000 metros de altitude, nós não passamos mal e acho que ter ido de ônibus foi fundamental para a aclimatação, pois em Cusco não sentimos nada do Soroche.

*Dia 2: 30/07- Chegada em Cusco: 

Chegamos em Cusco por volta das 07:15 da manhã e fomos praticamente correndo para o hotel deixar as malas, pois o nosso próximo ônibus, para Lima, sairia às 14:00 da tarde e nós queríamos aproveitar cada minuto na cidade.

Nós escolhemos o “Peruvian Hostel Terminal Terrestre” por ficar bem pertinho do terrapuerto da Cruz del Sur (longe do centro histórico). Eu havia entrado em contato com a administração do hotel dizendo que iria precisar do quarto antes do horário previsto para check-in e me responderam dizendo que não teria problema em me receber às 07h. Fato é que chegamos e não havia quarto disponível e relataram nem saber do meu contato. Isso nos fez perder uma das poucas horas em Cusco, então eu não recomendo esse hostel.

Resolvido o contratempo, saímos finalmente para conhecer Cusco e as horas que passamos por lá só fizeram aumentar a vontade de conhecer cada cantinho da cidade. É fascinante como a identidade Inca domina a cidade através dos hábitos, da arquitetura e do modo de viver do lugar. Escolhemos conhecer a Praça de Armas, templo Qoricancha e Mercado Central de Artesanato.

Templo Qoricancha
Mercado Central de Artesanato
Taxi até a praça de Armas custou 6 soles + Café no Starbucks por 45 soles o casal. O Templo Qoricancha custou 15 soles individual + Almoço no Mercado por 30 soles o casal. 

Nosso ônibus para Lima saiu às 14:00 e até lá são 21:00 de viagem. Nós fomos novamente pela Cruz del Sur - 190 soles - assento cama e realmente recomendamos a empresa. Desta vez o wi-fi funcionou durante todo o trajeto e foram servidas duas refeições.

*Dia 3: 31/07 – Chegada em Lima: 

Chegamos em Lima às 10:00 da manhã após 52:00 de viagem! A atmosfera de cidade grande estava a todo vapor! Lima sendo Lima como nas fotos, um sonho se realizando. Do terrapuerto da Cruz del Sur - Av.Javier Prado até o hotel em Miraflores pagamos 14 soles a corrida de táxi.

O Hotel: Escolhemos a “Hospedaje Dimar Inn” por localizar-se bem no centro de Miraflores e muito próximo ao Parque Kennedy, onde concentram-se bancos, lojas e redes de fast-food. É um hotel simples, mas muito charmosinho com tons de marrom que eu amo. A diária custou 133 soles sem café da manhã, mas pela excelente localização, limpeza impecável do lugar, quarto confortável e cordialidade dos funcionários eu me hospedaria tranquilamente no lugar.

Devidamente instalados, finalmente saímos para conhecer Lima e a nossa primeira parada foi no Parque Kennedy que na verdade parece um jardim com flores de tons lindos no melhor estilo peruano. Eles adoram um jardim! (O Almoço no KFC no parque Kennedy custou 35 soles o casal.)


De Miraflores até o Parque de las Leyendas são 10km de distância e a corrida de táxi saiu um pouco mais cara – 18 soles. Na verdade, é um grande zoológico, mas como tudo em Lima tem grama e flores eles chamam de parque. A entrada custou 14 soles e num domingo à tarde as 8 bilheterias estavam super disputadas por famílias, amigos e casais apaixonados.

Neste primeiro dia ainda conseguimos visitar dois shoppings: o “San Miguel”, bem próximo ao Parque de las Leyendas, por isso fomos caminhando, e o “Real Plaza Salaverry”, onde jantamos na rede Bembo’s por 27 soles o casal. Ambos contam com rede de lojas consagradas no mundo da moda até as lojas de departamentos Ripley e Sagafalabella, onde você encontrará os melhores preços e variedades de roupas de frio. O deslocamento entre os shoppings e hotel custou 20 soles.

*Dia 4: 01/08- Barranco e Miraflores: 

O dia não poderia ter amanhecido mais nublado e (lindo) para conhecermos os dois bairros imperdíveis em Lima. Neste dia utilizamos o sistema de ônibus Metropolitano comentado por alguns blogueiros e aprovamos, o sistema é eficiente, pois há vias exclusivas para esse ônibus, então além de economizar você não precisa disputar lugar no trânsito caótico de Lima. Próximo ao nosso hotel, está localizada a Estación Ricardo Palma. 

Para utilizar o Metropolitano, você precisa adquirir um único cartão por 5 soles nas estações e carregar o valor desejado. Cada passagem custa 2,50 soles. (Informações sobre a rota disponível em: www.metropolitano.com.pe).

Começamos pelo boêmio Barranco, que durante a manhã estava em silêncio quase absoluto, salvo por dois senhores que, percebendo a presença brasileira, começaram a cantar e tocar “Garota de Ipanema”.  Reza a lenda que, se você conseguir cruzar a “Ponte dos Suspiros” sem respirar e fizer um pedido, ele será realizado... (Taxi Barranco a Miraflores - 12 soles)


Depois do Barranco fomos então conhecer a beira-mar de Miraflores e o Pacífico. Não poderia estar mais lindo! O barulho das ondas foi uma renovação para a alma e as nuvens encobrindo o céu só tornavam aquele espetáculo cada vez mais infinito. 


Há uma imensa escadaria que liga a beira-mar com o Malecón, dando acesso ao shopping “Larcomar” e o “Parque del Amor”No Larcomar, você encontra a maioria das lojas consagradas, com exceção da Ripley e Saga, e com a diferença que lá tudo estava tudo absolutamente caro. Mas vale muito a visita para almoçar com a vista lindo para o Pacífico. (Almoço no Burger King- 34 soles o casal). 

De lá fomos até o Parque del Amor, onde fica a famosa escultura “O beijo”. Lá você encontra turistas diversos lugares buscando os melhores registros da escultura, das frases de amor nos muros e das flores muito bem cuidadas. Também é o lugar se você quiser arriscar o voo de parapente.


Táxi do Parque del Amor até o Parque Kennedy- 08 soles + Jantar no Pizza Hut- 26 soles o casal.

*Dia 5: 02/08- Centro Histórico: 

Neste dia utilizamos novamente o sistema do Metropolitano para chegar ao Centro Histórico de Lima, que fica longe do Miraflores. A estação mais próxima do centro é a “Jirón de la Union” a mais ou menos uma quadra da Plaza Mayor. Infelizmente, não há fotos pois tive uma crise de endometriose muito forte ao chegarmos na praça e tivemos que adiar o passeio para outro dia. Tomamos Café da manhã por incríveis 6 soles o casal em uma lanchonete em Miraflores. Aliás, eu recomendo muito as lanchonetes de Lima pois os pães redondinhos e os bolos são deliciosos e muito baratos. (Almoço -23 soles e Jantar no McDonald’s -30 soles o casal + 4 passagens no Metropolitano -10 soles.)

Às 22:00 pegamos um ônibus para Huaraz e dessa vez optamos pelo econômico da Movil Tours - 55 soles por pessoa: confortável, sem serviço de bordo e seguro como o da Cruz del Sur. Obs: Daqui pra frente tomamos Soroche Pills de 8/8 horas e usamos os bombons de coca como água (verifique com seu médico antes se você pode tomar e qual a dosagem).

*Dia 6: 03/08- Huaraz: 

Chegamos em Huaraz às 06 da manhã e o frio era de doer! A cidade simples serve de base para os famosos trekkings nas cordilheiras branca e negra.

Escolhemos o “Hostal Schatzi” que custou 80 soles, por aceitar check-in a partir das 07:00 e ficar bem próximo da praça de onde saem as vans para os passeios, mas novamente como em Cusco, não havia quarto disponível, obrigando-nos a tomar banho no banheiro da recepção. Na volta do passeio, nossa bagagem ainda estava na recepção, por isso não recomendamos de maneira alguma este Hostal.

Enfim, às 08:30 saímos com destino a Laguna Chinancocha, no Vale Llanganuco, com a Mony Tour - 40 soles por pessoa. A primeira parada foi na vila Carhuaz para tomar os famosos “helados”, posteriormente em Yungay, um povoado que foi destruído em 1970 por um terremoto seguido de uma avalanche.


De Yungay até o parque nacional de Huascarán é uma longa subida, mas muito tranquila porque o carro deixa ao pé da lagoa, então esse é um passeio muito bom para a aclimatação. 

Às 13:00, chegamos na Laguna Chinancocha que está a 3850m e a respiração ficou um pouco ofegante, a cabeça pesou, mas quem liga diante da imponência daquele lugar? A sensação de estar ali é de triunfo e a vontade foi de passar horas apenas contemplando o espetáculo da natureza.


O tempo de permanência na Laguna foi de apenas 1h com a Mony Tour, além do nosso guia ter levado o grupo para um restaurante diferente do que os outros grupos estavam parando, o que percebemos no final é que ele tem parceria com o restaurante. Então é importante pesquisar nos relatos uma boa agência ou até mesmo contratar um táxi privado.


Na volta para Huaraz percebemos o quanto eu estava cansada, com cólicas, dor de cabeça e pelo meu estado de saúde desistimos do passeio do dia seguinte: Nevado Pastoruri e voltamos para Lima na mesma noite, novamente com a Movil Tours.

*Dia 7: 04/08- Centro Histórico e Parque de la Reserva: 

Chegamos em Lima bem cedo e descansei a manhã inteira para novamente tentar conhecer o Centro Histórico de Lima. Agora posso dizer que o visual é encantador. A arquitetura espanhola faz você sentar em um dos bancos da Plaza Mayor e admirar o lugar por horas... Até mesmo os peruanos ficam por muito tempo sentados observando a inteligência dos seus antepassados.



Nos fundos do palácio do governo está localizada a “Casa de la literatura Peruana”, um lugar para conhecer um pouco da literatura do Peru. A entrada é gratuita.


O Parque de la Reserva ou Circuito Mágico das Águas, como é conhecido, fica próximo ao Centro Histórico, então é viável visitar as duas atrações no mesmo dia. Repleto de fontes (iluminadas à noite) o parque é diversão na certa para todos! 



Não importa a sua idade, você vai querer disputar um lugar para tirar as melhores fotos nos túneis de água e quiçá arriscar-se nas fontes interativas e se molhar (como naquele frio todo)? Os peruanos adoram!



A entrada no Parque custou 4 soles por pessoa e, se você for de Metropolitano, deve descer na Estación Estadio Nacional.

*Dia 8: 05/08- Parque de la Amistad: 

Localizado no bairro Santiago de Surco, o Parque nos surpreendeu pelo tamanho e calmaria em meio ao agito de Lima. Por ser afastado de Miraflores, o táxi até lá pode ser muito caro e o lugar não atrai muitos turistas, mas por 1 sole você pode ir de ônibus até lá. Basta perguntar a alguém qual irá passar próximo ao Parque. Os peruanos são muito solícitos com as informações para os turistas.




*Dia 9: 06/08- Volta para casa: 

Mais 52:00h de viagem até Rio Branco? Graças a Star Peru, não! A empresa está sempre com promoções de passagens e por muita sorte nós conseguimos um voo de Lima até Porto Maldonado por 90 dólares com taxas incluídas. 

O táxi até o aeroporto custa em média 30 soles, pois o aeroporto é muito longe de Miraflores, então é importante ir com tempo de folga, principalmente se o voo for com a Star Peru, pois o check-in é feito duas horas antes do embarque.

Picos nevados no caminho para Cusco
Star Peru: Eu já tinha lido sobre a Star Peru ser a empresa mais “fraca” que opera no Peru e já estava preparada para o pouso insano na escala em Cusco, mas para minha surpresa o avião estava em perfeitas condições, confortável e o piloto fez um pouso tão maravilhoso em Cusco que muitos passageiros o aplaudiram. 

A partir de Porto Maldonado foram mais de 10 horas até Rio Branco entre Vans e Táxis, mas muito melhor que a ida totalmente terrestre.


*Culinária do Peru: Há para todos os gostos e bolsos! Uma grande variedade de fast-food, restaurantes, lanchonetes e banquinhas... alguma coisa vai agradar. Nós recomendamos muito provar o talharim com lomo saltado, os doces mais típicos (leche assado, helatina, cakes) que são um caso de amor à parte. 


*Impressões sobre o Peru: Nós achamos a experiência fantástica que tivemos nesse país riquíssimo em cultura, aventura e gastronomia. Uma verdadeira imersão em uma cultura maravilhosa, onde as pessoas são muito educadas, todos parecem honestos (vimos tantos turistas com suas câmeras de última geração) passeando tranquilamente pelas ruas. Além da cultura Inca que é de longe muito preservada e respeitada por quem lá mora.  Com toda certeza é um lugar para voltar uma, duas, quantas vezes forem possíveis!

Enfim... este foi o relato dessa trip incrível planejada com uma semana de antecedência que só foi possível graças ao meu companheiro de vida (Walter) que literalmente embarcou nessa e me ajudou com toda a logística, dividiu comigo o dinheiro gasto e as boas experiências que o Peru nos ofereceu. A ele todo o meu amor e gratidão.


É muito bom quando temos alguém pra dividirmos a vida, as viagens, não acham? Acho que por isso admiro tanto Julio e Lily, e Cleber e Fábio do Viagens Cinematográficas. 

Até a próxima trip! 

5 comentários:

  1. Que máximo o seu relato, Jessica. Adorei!!! Essa viagem da Lily foi uma grande inspiração, morro de vontade de voltar ao Peru para conhecer esses lugares que na nossa viagem não deu para incluir. E ter um ótimo companheiro de viagens é tudo de bom, né? Sejam felizes e com muitas viagens pela frente, obrigado por se lembrar de nós!!! Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito lindo, né Fabio! Você e Cleber também são inspirações para a gente! Inclusive, antes de ir ao Peru eu simplesmente devorei o Viagens Cinematográficas todinho!! E você sabe bem disso kkkk...
      Beijo grande,
      Lily

      Excluir
  2. Olá gente
    primeiramente parabéns pelo blog.

    Aqui alguns pontos turisticos do Peru.
    Peru é muito grande com muitas alternativas para escolher, não há dúvida de que o atrativo mais importante no Peru é a visita a Machu Picchu, também não podemos deixar de visitar tanto Cusco e Vale Sagrado.Visitar Arequipa também vale a pena pelo seu valor arquitetônico e calor da cidade. Ir para as Ilhas Ballestas e apreciar a vida marinha, apreciar também as Linhas de Nazca. Passear por Lima e desfrutar da gostosa comida peruana.
    Estes são algumas das atrações a comentar, há muitos mais que o Peru tem para oferecer.
    Visitem nosso site: https://www.machupicchupacotes.com.br/

    ResponderExcluir