segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Quebec City: Comidinhas...

Ahhh... como eu adorei essa cidade!! Fiquei encantada com QUEBEC CITY!! Principalmente a Old Quebec City e, mais ainda, a parte baixa (lembram que Quebec City está dividida em parte Nova e Velha e esta última, por sua vez, divide-se em parte alta e parte baixa).

Fiquei 4 noites em Quebec City, em julho de 2012, alta temporada, em pleno verão, com a cidade fervendo com festival de verão!! A Cidade Velha estava sempre muito movimentada, com turistas e canadenses que foram curtir os diversos shows que aconteciam toda noite. Muito legal!! Já disse aqui no blog que eu voltei admirada por participar desses festejos de verão e perceber como os canadenses celebram o verão.

Mas o assunto é COMIDINHAS, certo?? Então, vamos lá!!

Não sou nenhuma especialista em gastronomia francesa (forte influência na Província de Quebec). Inclusive, como vivo fazendo dietas (das mais malucas) meu dia a dia é baseado em frutas, saladas, carnes magras... Mas quando viajo, eu fujo disso tudo e procuro experimentar e conhecer um pouco da gastronomia local.

Quando ao Canadá, de modo geral, posso dizer que comi muito bem. Só que não sei dizer, ao certo, o que seria verdadeiramente típico e originário da gastronomia canadense. Tive a impressão de que tudo sofre muita influência ou francesa ou inglesa, isso sem contar com as outras influências trazidas pelos diversos imigrantes que ainda chegam, em massa, ao país, como os chineses, tailandeses, vietnamitas, gregos, italianos, portugueses... e por aí vai!!

Em Quebec, logo que cheguei, na primeira noite, fui a um restaurante italiano, com direito a muita tarantela, músicos ao vivo, alegria, simpatia dos garçons, restaurante riquissimamente decorado (muita informação mesmo e para todos os lados e cantos!!), fotos de personalidades famosas que por lá estiveram, incluindo Celine Dion e Pelé!!! E, o principal, ótima comida!! Esse foi o Restaurante Au Parmesan, na Rue Saint Louis.

Curiosamente, à semelhança do que vi em Paris (onde já estive por duas vezes), em alguns restaurantes de Quebec City, inclusive nesse, havia um tipo de menu especial, com preço fixo, variando entre 40 a 50CAD por pessoa, incluindo entrada, prato principal e sobremesa. Vale muito a pena, principalmente se você estiver com fome. E foi exatamente o que pedi!! Delícia!!


Entrada

Entrada

Prato Principal

sobremesa

Fachada do Restaurante


Na mesma Rue Saint Louis, aliás, ao lado do Restaurante Au Parmesan, fica o Restaurante Aux Anciens Canadiens, o qual, segundo o site do restaurante, localiza-se na mansão mais velha de Quebec City, que data de 1675-76. O restaurante é muito famoso pela cozinha mais refinada. Queria muito ter saboreado seus pratos e até me programei para isso, só que, todas as vezes em que passei em frente para  fazer alguma refeição, estava vazio e, por isso, desanimava de entrar (sim, eu sou cismada com essas coisas e não curto muito comer em lugares vazios quando vejo ao redor outros lugares mais cheios... fazer o que, né??)




O Starbucks Coffee dentro do Château Frontenac também foi outro lugar em que estive por algumas vezes, para um café, uma pausa, um lanchinho rápido ou café da manhã. A vista do Terrasse Dufferin é belíssima!!






Logo embaixo está a foto da Rue Saint Louis. Como ficava próxima ao hotel Clarendon, onde me hospedei, passei por ela algumas várias vezes. Essa rua é repleta de restaurantes e vale a pena caminhar e escolher o lugar com que mais se identificar para sua refeição.




Continuação da Rue Saint Louis, temos, logo abaixo, a Grande Allée, espécie de Boulevard que lembra a Champs-Élysées, é outro lugar repleto de bares, cafés, restaurantes... não comi em nenhum, mas passei em frente e fique com água na boca!! A Avenida Grande Allée já fica na parte alta, fora da muralha, dando início a Nova Quebec.

Como estava acontecendo o Festival de Música, havia palcos armados nos arredores da Grande Alléé (planícies de Abraham, Praça George V, Parque da Francofonia) e, durante parte do dia, trechos dela ficavam interditados para pedestres, com várias barraquinhas desde cachorro-quente a crepes, cervejas, sorvetes... Nas pracinhas nos arredores da Grande Allée também há uma diversidade interessante de restaurantes, de chineses ao Subway!! 






Outra rua repleta de lojinhas, comércio, pub, restaurantes, galerias de arte, sorveteria, é a Rue Saint-Jean. Outra rua, dentro das muralhas, na parte alta da Velha Quebec City, que eu pude explorar bem. Também ficou interditada, apenas para pedestres, em alguns trechos durante parte do dia em razão dos festivais de música na cidade. 

Nos arredores da Rue Saint-Jean, nas ruas perpendiculares a ela, ou na sua continuação, perto da praça da Prefeitura, também há muito comércio e mais comidinhas!!



Produtos feitos a partir da Maple (árvore cuja folha está na bandeira do Canadá)

Produtos feitos a partir da Maple (árvore cuja folha está na bandeira do Canadá)




A foto embaixo é de uma ruela que, na verdade, é uma rua só de pedestres, entre a Rue Sainte-Anne e a Rue du Fort. A rua é tomada de cafés, restaurantes, pousadas, hotéis... do outro lado fica a Catedral da Santíssima Trindade (Holy Trinity), onde de vez em quando era organizada uma feira livre. 




Comi um delicioso crepe, cujos sabores você poderia montar na hora ou escolher os já fixos no cardápio, na Rue Saint-Jean, na Creperia Le-Casse Crêpe Breton!! Lugar descontraído, repleto de jovens, com bom atendimento, bons preços também... sentar perto da janela e observar o vai-e-vem da Rue Saint-Jean foi bacana demais!! Principalmente porque já era bem tarde e havia muitos jovens pela cidade, voltando do show do Bon Jovi, que havia se apresentado em palco gigante armado nas Planícies de Abraham!! 

Crepe com dois ingredientes custava 7CAD. A cada ingrediente novo, tinha que conferir no cardápio os valores que seriam acrescentados.





Essa Delicatessen super fofa, na Rue des Jardins, salvou-me alguns dias, para lanchinho e café da manhã!! Delicinha, viu?? Bons preços também. 

Lembrem-se de que achei os preços, em Quebec, em Montreal e Quebec City, um pouco salgados, principalmente em função dos impostos que eram acrescidos ao final, podendo chegar a quase 20%. Bem, na verdade, não era mais caro que o Rio de Janeiro. Só que eu não imaginava que fosse assim parecido... 



Biscoito feito com recheio de Maple e leite achocolatado!! heheheehe... lanchinho de criança, em pausa providencial no Cânion Ste-Anne. Depois de fazer todo o percurso de trilhas, pontes e escadas, esse lanchinho foi tudo de bom!!!



Agora sim... uma das partes mais fofas e lindas da cidade, em que você sente em pleno clima medieval, é a parte Baixa da Cidade Velha.

Em especial, a Rue du Petit Champlain, com suas lojas, comércio, cafés, chocolaterias, sorveterias, galerias de arte, restaurantes, lanchonetes... e seus arredores também!!! É simplesmente uma delícia e encantador percorrer todas as suas ruas, que são poucas. Por isso vale a pena ir com calma para absorver um pouco dessa atmosfera tão preservada e observar o conjunto arquitetônico e, é claro, escolher o lugar onde fará sua refeição.







Eu adorei esse restaurante, na Rue du Petit Champlain, logo de cara e na primeira vez que passei por ali! Restaurante Le Lapin Sauté, especializado em carne de coelho, é simplesmente divino!!

A decoração riquíssima, fofa, encanta muitos que passam pela sua porta. Enquanto estive aguardando uma mesa, em espera que levou cerca de 15 minutos, várias pessoas passavam para ver o cardápio e outras foram ficando, formando uma pequena fila de espera.

Os preços não são baratinhos. Só que... mais uma vez... comparados com o Rio de Janeiro, estão equiparados!! O jantar completo, se não me falhe a memória, ficou em torno de 50 CAD por pessoa.

Valeu a pena porque eu nunca havia comido carne de coelho!!! Adorei o prato que pedi, uma espécie de torta com recheio de carne de coelho. 

A mesa em que sentei, todavia, não era da mais confortável. Preferi sentar do lado de fora, já que o clima estava bom para isso, e também porque a pracinha, do lado do restaurante, é linda e o ambiente todo é super romântico. Mas, percebi que todas as mesas do ambiente externo era super próximas umas das outras. Ficou meio apertado. Tirando isso, foi tudo perfeito!! Recomendo!!









Outro pólo gastronômico de Quebec City, ainda na parte Baixa da Cidade Velha, é a Rue Saint-Paul. Não tive a oportunidade de comer em nenhum de seus inúmeros restaurantes, mas percebi que havia muitas opções de comidas asiáticas. Fica para a próxima, com certeza!!



O Mercado do Velho Porto, na parte Baixa da Velha Quebec City, é o lugar ideal para quem gosta de experimentar sabores, especiarias, temperos, produtos feitos a base de Maple, vinhos, licores... Além disso, não faltam lanchonetes vendendo vários tipos de massas, saladas, sanduíches. 

É claro que aproveitei a oportunidade para degustar um pouco e fazer uma pequena refeição apreciando a vista do cais e do porto. Nos fundos do Mercado há um ambiente com mesas próprio para isso. 

As comidas, em geral, são mais baratas e o melhor é poder fazer algumas degustações. Por onde você passa, dentro do Mercado, não raro alguém te chama oferecendo uma amostra do produto para degustação. 

Comi uma salada de massa com salmão em um dos stands (em torno de 5CAD) e depois comi uma combinação de saladas no Restô du Marché. Como durante o dia fazia muito - MUITO - calor, uma salada caiu muito bem!!















E assim terminou, com pesar, minha passagem gastronômica por Quebec City!! Só de lembrar, já fico com saudades porque gostei demais dessa cidade!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário