sexta-feira, 6 de abril de 2012

Nova Iorque: hospedagem + locomoção + dicas (2)

Decidir onde ficar em Nova Iorque é algo que pode ser complicado. Bem, em primeiro lugar, devo dizer que adorei ficar em Manhattan e pretendo sempre ficar por lá das próximas vezes. Quando falo em Manhattan, refiro-me à ilha principal mesmo. É muito fácil andar por lá, especialmente a pé. Com disposição, dá para andar praticamente de uma ponta a outra. Com bicicleta fica ainda mais fácil!!

***HOSPEDAGEM:

A questão da hospedagem é outra a ser pensada. Pesquisei bastante antes de descobrir o hotel onde resolvi me hospedar. Percebi que a grande maioria dos hotéis bons, com 3 ou 4 estrelas, portanto hotéis razoáveis, embora não sejam luxuosos, e que contam com uma localização no coração de Manhattan, não oferecem café da manhã incluído na diária ou simplesmente não há nada a oferecer no café da manhã.
Eu me hospedei por 8 dias/7 noites no hotel que se chamava Comfort Inn Midtown/Times Square. Aliás, quanto ao tempo de permanência na cidade, acho que esse foi o ideal para mim e para meus planos turísticos e consumistas. Com mais uns dois dias eu teria feito ainda mais compras e talvez explorado algumas partes de Manhattan por onde passei muito rápido como a Union Square, ou pelos chiquérrimos bairros West e East Village... eu certamente teria alguma coisa bem legal para fazer!! Agora, menos que 8 dias, eu teria sofrido bastante para tentar conciliar os interesses turísticos com as comprinhas...

O hotel mudou de nome e agora se chama The Hotel at Times Square Hotel. Além de oferecer café da manhã incluído na diária, estar localizado na Rua 46th (também conhecida como sendo a Rua Little Brazil), entre a 6th e 5th Avenidas, ou seja, colado em Times Square e no coração de Manhattan, havia serviço com café, chá, água e leite disponível durante todo o dia, dois computadores gratuitamente à disposição dos hóspedes e wifi gratuito em todo os quartos.

Fonte: Internet

Por falar nos quartos, eles eram espaçosos o suficiente para caber muitas malas (Muitas!!), bastante confortável, com amplo banheiro e com uma limpeza que me agradou muito à época. Vale lembrar que eu estive lá em fevereiro de 2010. Só que recomendei o mesmo hotel para amigos que estiveram lá em julho de 2011 e voltaram cheios de elogios e muito satisfeitos!!

Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi que, em 2010, esse hotel ocupava um dos primeiros lugares, entre os 15 primeiros, no ranking de classificação dos hotéis feito pelo site TripAdvisor, com base nas críticas feitas pelos turistas que nele se hospedaram.

Inegavelmente, seu ponto forte é a localização. A quantidade de coisas que se pode fazer e conhecer a pé a partir do hotel é enorme!! Estar muito perto de diversos restaurantes, da 5th Avenida, da Broadway e principais teatros, de muitas lojas, do Rockeffeler Center, Central Park, entre outros, torna a hospedagem no The Hotel at Times Square ainda mais agradável, prática e proveitosa!!

Por fim, verifiquei naquela época que fazendo a reserva pelo próprio site do hotel era mais vantajoso do que por outros sites como o Booking.com. O site do hotel costuma fazer descontos para reservas antecipadas. E os preços eram muito convidaditos também se comparado a hotéis nas redondezas que sequer ofereciam café da manhã. Então, por tudo isso, eu acho que esse hotel é uma ótima dica de hospedagem em NY.

*** LOCOMOÇÃO: é claro que para uma pessoa que não dirige e sequer possui habilitação (essa sou eu!!!) nunca o aluguel de carro será a melhor forma de deslocamento dentro da cidade. Todavia, em NY, o alguel de carro como meio de deslocamento é uma tremenda furada na minha opinião porque é uma perda de tempo (tempo mesmo, porque há muitos engarrafamentos e o trânsito não é dos melhores e sempre me faz lembrar dos episódios da série de TV "Friends" e das cenas de engarrafamentos da também série "Seinfield") e de dinheiro, porque é claro que a diária do aluguel do carro não é das mais baratas.

Talvez, alugar um carro para ir para os Outlets, aí sim essa possa ser uma ótima ideia para quem gosta de dirigir. Você fica com seu horário livre para fazer como bem entender, mais à vontade e pode percorrer os enormes e famosos outlets existentes em Nova Jersey e Central Valley e lotar o carro com suas malas de compras sem se preocupar.

Inclusive porque, como veremos em post próprio para compras, o preço do ônibus que sai de Manhattan para o conhecido outlet Woodbury fica por volta de U$45,00 a U$50,00 por pessoa - ida e volta. A depender dos valores do aluguel do carro e da quantidade de pessoas que irão juntas, com certeza alugar um carro pode ser bem melhor.

Na minha opinião, como boa pedestre que sou e que curte bastante contemplar os lugares, admirar os edifícios e ficar até "meio autista" diante de tantas informações e detalhes ao redor, caminhar a pé é sem dúvida a melhor alternativa!!

Andar de metrô em NY também é ótimo!! Só recomendo que antes você se entenda com o mapa do metrô porque são várias linhas que se cruzam, outras que não se cruzam, com lugares próprios para baldeações, sendo que a depender da linha, por exemplo, não há paradas em todas as estações. Algumas linhas param em todas as estações e outras não. Não custa nada dar uma olhadinha no mapa antes ou conversar com quem já esteve por lá para entender melhor.

Como fiquei hospedada bem pertinho da Times Square, eu usava com frequência a Linha 1 e dela era possível fazer baldeações para vários cantos de Manhattan.

Outra informação importante é o horário de funcionamento do metrô. Sempre ouvi dizer que o metrô em NY não pára. Definitivamente, parar ele não pára mesmo. Só que não são todas as linhas que funcionam o tempo todo e, até onde eu sei, os intervalos podem ser mais demorados de madrugada. Por isso também é bom certificar-se quanto a isso para não ter problemas.

Ainda, quanto ao metrô, como eu sou super precavida, não gosto de bancar a turistona boba e confesso que sou meio medrosa mesmo, como ouvi dizer que andar de metrô em NY depois que anoitece para os lados do Brooklyn e de Wall Street pode ser perigoso, é claro que eu evitei fazer isso. Juro que não sei se essa informação ainda procede. Afinal, até alguns anos atrás a cidade enfrentava problemas de violência nas ruas como brigas entre gangues, roubos e outros. Hoje em dia, pelo que me consta e que acompanho em noticiários, depois do governo do prefeito Rudolph Giuliani e da sua famosa política da tolerância zero, parece que a pior fase ficou no passado e que atualmente está mais tranquilo.

Eu adoraria ter andado de bicleta. Só que o frio, vento e neve realmente me impediram. Em outra oportunidade, com clima menos hostil, eu realmente quero passear pela cidade de bicleta. Alugar uma bicleta para passear por NY, principalmente no Central Park, parece ser bem simples e fácil. Aliás, para quem gosta, de repente vale até mesmo a pena comprar uma e depois trazer pro Brasil!! Se parar para pensar na qualidade e nos preços para comprar, acho que é uma boa!!

Fonte: Internet

Inclusive, li uma reportagem que estava previsto para ser lançado em 2012 um enorme Sistema de Uso compartilhado de Bicletas em NY como medida para amenizar os problemas enfrentados pela malha viária. Não conheço ninguém que tenha ido recentemente a quem perguntar sobre isso. Mas imagino que seja algo parecido com o que foi implantado no Rio, em meados de 2011, pelo governo da cidade e Banco Itaú, com várias bicletas laranjinhas do Itaú espalhadas pela cidade.

Outra alternativa de transporte e deslocamento dentro de Manhattan é com aqueles ônibus turísticos que geralmente têm dois andares. As vantagens são inúmeras: conhecer a cidade de forma bem completa, percorrendo suas principais atrações turísticas, pagando um bilhete único, podendo observar os edifícios do segundo andar com uma outra perspectiva, contemplando ainda mais a paisagem e economizar nas caminhadas. Quase sempre tem promoção que permite o uso do ônibus por dois dias seguidos por um preço mais atraente.

Fonte: Internet
Em NY eu não fiz esse passeio, mas esse tipo de ônibus é bem famoso nas grandes capitais do mundo e eu já andei nesse mesmo tipo de bus em Londres, Madri e Barcelona e achei bacana. Tudo bem que você fica com o registro de turista bem na testa. Mas... enfim... todo mundo sabe mesmo que você é turista e poucos, pouquíssimos, são os que conseguem disfarçar essa condição. A dica é ficar no segundo andar, que é o mais disputado. No inverno, com neve, frio e vento, o passeio torna-se praticamente inviável porque não há cobertura no segundo andar. Por isso mesmo que não fiz!!

Os mais famosos e conhecidos ônibus turísticos são: Gray Line e o City Sights NY Hop-on Hop-off.

Comprando pela internet quase sempre há descontos. Estudantes com Carteira Internacional e Idosos também costumam pagar valores diferenciados. Confira o que cada um abrange e os valores antes de comprar. As principais atrações turísticas são comuns a eles.

Por último, não poderia me esquecer dos famosos táxis amarelinhos!! Aqueles que aparecem em todos os filmes e séries de TV!! O que dizer sobre os táxis em NY?? Achei muito caro nas poucas vezes em que tive extrema necessidade de usá-los. Por exemplo, voltando do Outlet Woodbury, com bolsas e malas, mesmo uma curta distância entre o hotel e o local de chegada do ônibus que peguei para ir ao outlet, que é um grande terminal de ônibus chamado Port Authority, uma distância que a pé eu fiz em 5 minutos, paguei exatos U$10,00 pela corrida de táxi e mais U$5,00 para um funcionário do terminal de ônibus chamar um táxi e, para completar, estava chovendo e nevando.

Fonte: Internet

Outra experiência ruim com o táxi foi a tentativa de voltar da ONU. Depois de parar uns 3 táxis que me perguntavam se eu era estrangeira e para onde eu iria - no caso eu estava apenas querendo voltar para Times Square e essa seria uma corrida até boa - e de constatar a mesma reação nos taxistas, uma certa indiferença ou até mesmo um desprezo, eu acabei desistindo e voltei a pé da ONU até Times Square, uma caminhada de aproximadamente 35 minutos. E fiquei com muita raiva daqueles taxistas. Não sei se tive azar, mas foi inacreditável!!

Por tudo isso, eu realmente só indico o uso de táxis quando for muito necessário e a única ou a última alternativa para se deslocar.

No próximo post mais dicas!! Não percam!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário