terça-feira, 20 de dezembro de 2011

BONITO!! Sexto Dia...

Sexto Dia: Flutuação no Rio da Prata



O melhor dia de flutuação me aguardava!! Sim, o Rio da Prata, mesmo não sendo de águas tão cristalinas como o Rio Sucuri, apresenta uma biodiversidade tão impressionante, tão abundante, que torna esse o melhor passeio de todos!



Na verdade, a flutuação não começa no Rio da Prata, mas sim no Olho D`Água. Esse sim é bastante transparente e mais raso. É perfeitamente perceptível a mudança do Olho D`Água para o Rio da Prata, porque a água fica mais fria e o rio mais fundo, com maior profundidade.
Saímos cedo da Pousada Bonsai e fomos para o Receptivo do Rio da Prata que fica a aproximadamente 50km do Centro de Bonito. Como há trechos da estrada asfaltados e outros de terra, demoramos um pouco mais de 1 hora para chegar. Paguei R$125,00 pelo passeio.
E eles foram pontuais e estavam apenas esperando a gente chegar!
Já fomos logo recebendo orientações e vestindo a roupa de neoprene e bota, pegando snorkel e máscara para mergulhar. (Definitivamente, eu odeio essa roupa!!).
Uma carreta levou o grupo até o início da trilha. Ao longo da trilha fomos observando árvores, como a Figueira Mata Pau, Peroba Rosa, entre outras. Macacos e pássaros acompanhavam a gente. Passamos por nascentes do Olho D`Água até chegar ao ponto em que começamos a flutuação. Essa trilha deve ter durado algo em torno de uns 30 minutos.



A flutuação é a maior de todas: cerca de 2km!!
O passeio todo durou quase 4 horas, incluindo as trilhas e pausas nos decks para descanso.




Por ser um trajeto de flutuação maior, há duas pausas no percurso em decks: uma para desviar das corredeiras e outra para descanso em frente ao chamado vulcão, uma espécie de redemoinho dentro da água que é, na verdade, uma nascente.





O passeio é lindo! Deslumbrante! Peixes de várias espécies e cores aparecem pelo caminho. Pacus, dourados, piraputangas estavam sempre presentes.







Além da fauna, a flora e a vegetação dão seu show! Muito bonito!

O guia recomenda que se siga a flutuação pelo meio do rio, evitando ficar próximo das margens porque é possível haver jacarés por ali. Tem que prestar atenção, mesmo porque a correnteza insiste em jogar para as margens. Um casal que conheci em Bonito e que se hospedou na mesma pousada que eu comentou que, no dia anterior, quando eles fizeram o passeio, conseguiram ver 3 jacarés na margem do Rio! É claro que eu nem fazia questão de ver e não vi!










Após o desvio para fugir um pouco das corredeiras, a gente retorna para a flutuação e acaba passando por umas corredeiras também. O guia orienta quais direções devem ser tomadas e tem que ter cuidado com as pedras para não se machucar!





O encontro do rio Olho D`Água com o rio da Prata é muito bonito também!

Eu adorei o passeio e recomendo! É bom lembrar que não precisa saber nadar, até porque a correnteza leva todo mundo. Além disso, nem se pode bater os pés, nem mesmo ficar em pé ou encostar no fundo do leito do rio, por uma política de preservação ambiental (isso também vale para o Aquário Natural e Rio Sucuri). Mas é bom saber que, embora não precise saber nadar, tem que saber pelo menos mergulhar e boiar!
O passeio termina em um deck no Rio da Prata, onde já está parado um carro/carreta aguardando para levar de volta para a Fazenda!
Após tanto exercício físico, nada mais justo do que um delicioso almoço servido na Fazenda/Receptivo. No Receptivo há uma loja de souvenirs e redário, além de vestiários e banheiros. O almoço estava muito gostoso e as sobremesas também! Destaca-se o doce de leite! Maravilhoso! Até comprei um pote para levar para casa (eles vendem os potes de doce de leite que são fabricados por eles mesmos).



Tínhamos o passeio ao Buraco das Araras programado para às 17:00, que fica muito perto do Rio da Prata. Mas o tempo, mais uma vez, virou, de tarde, e com o temporal que caiu, desanimamos com o passeio até mesmo porque avisaram que nesses casos de chuvas as Araras não ficam ali e procuram abrigo. Infelizmente, São Pedro não foi parceiro nesse fim de tarde. E na volta para o centro de Bonito levamos um susto: uma boiada inteira vindo em nossa direção e no meio da estrada!!! Aí só restou uma coisa a fazer, ou seja, parar o carro! Rezar e esperar a boiada passar, torcendo para que nenhum boi doido viesse em cima da gente... e haja emoção!
Diante de tal frustração, aproveitei o retorno cedo para Bonito e fui sozinha conferir o Projeto Jibóia, que fica no Centro de Bonito. Sim, sozinha! Meu irmão ficou com medo das jibóias.


O Projeto Jibóia, como já disse, funciona no centro de Bonito, local de fácil acesso, e abre todo dia a partir das 19:00h. Paguei R$20,00 pela entrada.
Muito interessante o Projeto desenvolvido com o intuito de desmistificar o pavor e medo que as pessoas sentem pelas cobras, alertando também para os cuidados necessários em caso de contato com o animal ou, até mesmo, mordida.
O dono do Projeto, que é particular, Henrique, começa com uma palestra contando como foi a sua experiência de vida com as cobras e o início do projeto e suas intenções. Alguns vídeos são mostrados, várias brincadeiras são feitas com a platéia, tudo para que as pessoas, tensas como eu, ficassem mais à vontade.
O mais impressionante de tudo é que ele já chega com uma jibóia em seu pescoço e permanece assim durante todo o tempo.
Ao final, as pessoas, destemidas, como eu (rsrsrs), são convidadas, em ordem das senhas distribuídas, para posar parar fotos com a jibóia. É claro que eu fui! É claro que eu fiquei com medo! Mas, valendo-me do slogan usado pelo Projeto: “Eu fui, Eu vi, Eu peguei” na cobra! Sua pele é lisa, nada pegajosa, lembrando couro de bolsa mesmo.



No final, valeu muito a pena ter ido e ter aprendido um mais sobre as cobras. E ele ainda explica que foi ele quem elaborou o mapa turístico de Bonito, usado por todas as agências turísticas, mapa este elaborado nos moldes de um mapa de metrô.



Depois disso, encerrando o dia, como o almoço no Receptivo do Rio da Prata foi muito farto, apenas me rendi ao sorvete assado do Tentação Sorvetes, na rua principal de Bonito. Delicioso! O sorvete, dessa vez, não derreteu! Muito bom mesmo! Só não gostei do fato de eu mesma não poder escolher o sorvete, que tinha que ser napolitano. O sorvete assado do Delícias do Serrado, embora tivesse ficado bem mais derretido, era melhor nesse sentido de se poder escolher os sabores do sorvete.



E mais um dia se foi! Faltava só mais um dia de passeio, o último, para a Cachoeira da Boca da Onça.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Que isso! Um Bichinho tão inofensivo!!! rsrsrs... meu irmão nem chegou perto, acredita? Ele me deixou lá e depois foi me buscar!! Eu fui sozinha!! kkkk
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
    2. hahahah... sucuri eu sei que você quase viu... e a jibóia? Foi ao Projeto?

      Excluir